LIMA (Reuters) - Ao menos dois militares e quatro rebeldes morreram nesta quarta-feira durante uma perseguição a um líder da guerrilha Sendero Luminoso no Peru, informou o ministro da Defesa, Rafael Rey. O conflito aconteceu por volta das 6h30 (8h30 em Brasília) na região do Valle de los Ríos Apurímac y Ene (VRAE), uma zona entre os andes e a floresta no centro-sul do país, onde a guerrilha se concentra há anos, acrescentou o ministro.

"Posso confirmar que durante uma perseguição... na zona de VRAE... houve um enfrentamento com narcoterroristas do Sendero Luminoso", afirmou Rey à rádio local RPP.

Além de confirmar a morte de dois sargentos do Exército, Rey afirmou que "por parte dos terroristas, calculamos ao menos quatro baixas. Foram capturados alguns fuzis de guerra, o que confirma que há baixas."

O Peru enfrentou durante duas décadas uma sangrenta luta contra a guerrilha Sendero Luminoso, na qual morreram ou desapareceram cerca de 69.000 pessoas, segundo dados oficiais.

Durante seu auge, o Sendero Luminoso empunhava uma ideologia maoísta e buscava instaurar um Estado comunista no Peru.

Mas após a captura em 1992 de seu líder, Abimael Guzmán, o grupo se converteu no guardião do narcotráfico que lhe consegue as armas, munições e alimentos.

(Reportagem de Patricia Vélez e Teresa Céspedes)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.