Ao menos 35 jornalistas permanecem presos no Irã

Nova York, 7 abr (EFE).- Pelo menos 35 jornalistas permanecem presos no Irã com parte da repressão do governo à imprensa após os protestos que seguiram às eleições presidenciais de 2009, afirmou hoje o Comitê para a Proteção de Jornalistas (CPJ).

EFE |

O censo mensal de jornalistas presos organizado mensalmente pelo CPJ também inclui outros 18 profissionais com indulto para o Ano Novo iraniano, mas que devem regressar para a prisão depois da comemoração.

Muitos dos presos sofrem "pressões físicas e psicológicas imensas para que confessem crimes que não cometeram, entre eles alguns condenados à morte", disse um comunicado do CPJ.

Outros são proibidos de receber visitas de familiares e advogados, enquanto alguns excederam os limites legais para permanecerem detidos por suspeitas sem acusações, acrescentou.

"O alcance das prisões de jornalistas no Irã não é só lamentável, como o tratamento que eles recebem também", disse o diretor-executivo do CPJ, Joel Simon, que considera o Governo iraniano responsável pela integridade física dos comunicadores presos.

Com sede em Nova York, a organização realiza um censo mensal de jornalistas nas prisões iranianas, após a violenta "repressão" contra a imprensa que cobriu os protestos da oposição contra o Governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad.

Elaborado no final de março, o censo traz uma redução dos presos, comparado com os 52 de fevereiro e os 47 de janeiro, assinalou o CPJ.

A organização lembra que o Irã continua sendo "o pior carcereiro de jornalistas", a frente da China (com 24 presos) e Cuba (com 22).

Mais de 3,5 mil pessoas, entre elas escritores proeminentes e jornalistas, assinaram um pedido ao líder supremo da revolução iraniana, aiatolá Ali Khamenei, pedindo a libertação dos repórteres presos.

Entre os signatários estão escritores como Mario Vargas Llosa, Martin Amis, Margaret Atwood, E.L. Doctorow, Jonathan Franzen e Nadine Gordimer, além de jornalistas como Jon Lee Anderson, Thomas Friedman e Ahmed Rashid. EFE jju/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG