Ao menos 30 presos fogem de prisão após motim no México

Quatro funcionários e 18 guardas da prisão são investigados por suposta cumplicidade na fuga dos detentos

EFE |

As autoridades mexicanas confirmaram nesta segunda-feira a fuga de 30 presos do presídio de Apodaca neste domingo durante um confronto no qual morreram 44 detentos, e investigam quatro funcionários e 18 guardas da prisão por sua suposta cumplicidade.

Leia também: Confronto deixa 44 mortos em prisão no México

O governador do estado de Nuevo León, Rodrigo Medina, disse em entrevista coletiva ter informação que os foragidos pertencem à organização criminosa dos Zetas, entre eles um líder local, e que os prisioneiros "assassinados" fazem parte do Cartel do Golfo. Isso demonstra em princípio, que "continua a rivalidade destes grupos", que em março de 2010 romperam sua aliança e desde então mantêm uma sangrenta luta pelo controle de várias regiões do país, ressaltou Medina.

As investigações realizadas até o momento apontam que, antes do confronto, os detentos tinham o plano de fugir e para isso "sem dúvida contavam com a cumplicidade de alguns funcionários", declarou Medina, destacando que ainda é cedo para dar os nomes daqueles que participaram da fuga. Além disso, reiterou que "não houve detonações de arma de fogo" e que as 44 vítimas do confronto entre grupos rivais que se tornou um motim perderam a vida "com armas contundentes e cortantes".

No entanto, a mãe de um preso disse à Agência Efe que "foram escutados disparos e inclusive uma explosão" e que depois era possível observar "colunas de fumaça". A prisão de Apodaca conta com aproximadamente três mil presos, um número que ultrapassa em 30% o total de sua capacidade, um fato que ocorre na maioria dos presídios no México.

A briga registrada na ultima madrugada é considerada como uma das mais violentas dos últimos cinco anos no México. Em janeiro, outro confronto entre presos, registrado em um centro penitenciário do estado de Tamaulipas, resultou na morte de 31 presos. Em maio de 2011, um incêndio na prisão de Apodaca, aparentemente causado por um curto-circuito, acabou com 14 mortos e 35 feridos.

    Leia tudo sobre: Méxicoprisãofugamotim

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG