A conferência das Nações Unidas sobre o clima, que foi inaugurada nesta segunda-feira em Poznan (oeste da Polônia), deve gastar 13.000 toneladas equivalentes de CO2 durante seus 12 dias de trabalhos, segundo estimativas da ONU.

Este cálculo inicial está baseado na participação de 8.000 delegados de 185 países, mas o número de inscritos chegou na noite de domingo a 10.657, dando margens à previsão de emissões de CO2 mais elevadas devido principalmente ao transportes em avião, um dos mais poluentes.

O país anfitrião da conferência, a Polônia, "propôs compensar todas as emissões ao final dos trabalhos, assim que forem feitos todos os cálculos definitivos", destacou o secretariado da convenção das Nações Unidas sobre as mudanças climáticas (CNUCC) em um comunicado nesta segunda-feira.

Podem ser feitos investimentos em projetos verdes em favor da floresta ou em energias próprias em favor dos países em desenvolvimento.

Somente a UNFCCC, com sede em Bonn (Alemanha) enviou 200 pessoas a Poznan, "que viajaram da maneira mais ecológica possível", de trem ou ônibus, destacou o secretariado.

As ONG de defesa do clima registraram 5.500 representantes na noite de domingo e várias centenas de jornalistas também devem cobrir o evento.

A conferência de Poznan deve permitir lançar a negociação de um futuro acordo mundial sobre o clima, no fim de 2009, sobre principalmente a redução das emissões de gases do efeito estufa para conter o aumento da temperatura mundial daqui ao final do século.

ri/lm/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.