Ao menos 12 pessoas morrem em duas explosões no Paquistão

Por Sahibzada Bahauddin KHAR, Paquistão (Reuters) - Um homem-bomba atacou um encontro de anciões tribais paquistaneses pró-governo na área de Bajaur, na fronteira com o Afeganistão, na quinta-feira, matando 10 pessoas e ferindo 30, informaram autoridades do governo.

Reuters |

Em um segundo ataque suicida, uma bomba explodiu dentro de um carro perto da sede da polícia no vale de Awat, também no nordeste do país, matando pelo menos duas pessoas, segundo autoridades de segurança.

Os soldados paquistaneses têm lutado contra militantes islâmicos em Bajaur e Swat há meses, e os militantes respondem com ataques a bomba.

A violência contribuiu para a fuga dos investidores, o que agravou a crise econômica que deve forçar o governo civil a pedir ajuda ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Como grande parte dos esforços para conter os militantes aconteceram no nordeste, as autoridades estão encorajando líderes tribais a montar milícias e expulsar quem quer os ataque.

O primeiro ataque a bomba aconteceu em uma jirga, um conselho tradicional com cerca de 200 homens que planejavam retirar os militantes da área, disseram as autoridades.

O responsável pelo ataque foi até o local e detonou os explosivos amarrados em seu corpo. Dez pessoas morreram, disse à Reuters, por telefone, uma importante autoridade do governo em Khar, principal cidade da região. Cerca de 30 pessoas ficaram feridas.

Vários idosos disseram que morreram cerca de 20 pessoas na explosão na vila de Batmalai, 20 quilômetros ao norte de Khar.

"Não sabemos quando nem como ele chegou lá. Nós só ouvimos uma explosão e as pessoas começaram a correr", disse Kamal Khan, ancião tribal.

Ele disse que o movimento contra a militância vai continuar. "Essa bomba não vai nos deter", afirmou.

    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG