Anúncio de reaparição de líder norte-coreano pretende calar boatos

O anúncio da reaparição do líder norte-coreano Kim Jong-Il em uma partida de futebol pela imprensa oficial pretende calar os persistentes rumores sobre o estado de saúde do homem forte do regime stalinista, segundo analistas.

AFP |

"Kim dirige uma mensaje a Coréia do Norte e ao exterior de que não existe problema", afirma Kim Yong-Hyun, professor na Universidade da Coréia em Seul.

"O líder norte-coreano quis fazer um retorno natural, discreto, desprovido de drama. Isto responde a um cálculo que consiste em dizer: 'Olhem, a República (Popular Democrática da Coréia) está bem'", acrescentou.

A agência de notícias estatal norte-coreana KCNA, órgão do regime, divulgou no sábado que o homem forte de Pyongiang, de 66 anos, assistira um jogo de futebol.

No entanto, a surpreendente reaparição de Kim permanece envolta em mistério: os canais de televisão norte-coreanos falam da presença de Kim no jogo, mas não exibem imagens, segundo a agência sul-coreana Yonhap.

A data da partida também não foi mencionada.

Segundo a KCNA, ele assistiu uma partida entre estudantes universitários por ocasião do 62º aniversário da Universidade Kim Il-sung, fundada em 1º de outubro de 1946. Isto permite supor que o jogo aconteceu na quarta-feira.

Kim Jong-Il, no poder desde a morte do pai em 1994, não era visto em público em quase dois meses. Em 14 de agosto inspecionou uma fábrica militar, sempre de acordo com a imprensa estatal.

A ausência dele, em 9 de setembro, de um importante desfile militar que celebrava o 60º aniversário do regime comunista, aumentou as especulações sobre seu estado de saúde.

As autoridades sul-coreanas afirmaram que Kim Jong-Il sofreu um derrame, foi operado, mas se recuperava bem.

Pyongyang desmentiu a informação, mas sem apresentar detalhes sobre o 'sumiço' de Kim Jong-Il.

jkw/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG