Antipsicóticos aumentam risco de AVC

Os remédios utilizados para tratar psicoses, como a esquizofrenia, podem aumentar os riscos de acidentes vasculares cerebrais (AVC) nas pessoas que sofrem de demência, segundo um estudo publicado nesta sexta-feira pelo site do British Medical Journal (BMJ).

AFP |

Estudos anteriores mostraram que a segunda geração de antipsicóticos, ainda chamados neurolépticos "atípicos", podem aumentar os riscos de AVC. Porém, não se sabia se os antipsicóticos clássicos, mais antigos, da primeira geração, representavam um risco.

As preocupações referentes aos riscos de AVC surgiram em 2002. Em 2004, o comitê britânico sobre a segurança dos medicamentos recomendou, por precaução, o fim da prescrição de neurolépticos atípicos a pacientes sofrendo de demência.

A equipe que elaborou o estudo examinou dados procedentes do registro geral de medicina, que tem informações clínicas sobre mais de seis milhões de pacientes britânicos.

"Chegamos à conclusão que todos os tipos de antipsicóticos aumentam os riscos de AVC, e que o risco é um pouco mais alto com a segunda geração destes remédios", declararam os pesquisadores.

"Para os pacientes sofrendo de demência, os riscos associados aos antipsicóticos são maiores que os benefícios potenciais obtidos com estes medicamentos. Logo, é preciso evitar, sempre que for possível, a prescrição destes remédios", concluíram.

bc/yw/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG