Antigo membro do ETA responde em liberdade por apologia do terrorismo

Belfast (Reino Unido), 17 nov (EFE).- José Ignacio de Juana Chaos, membro do grupo separatista basco Eta nos anos 80 responderá em liberdade a um processo por apologia do terrorismo na Irlanda do Norte, após pagar hoje uma fiança.

EFE |

Ele pagou 5 mil libras esterlinas (cerca de 5,9 mil euros, mais de US$ 7,4 mil), por decisão do juiz de Belfast Thomas Burgess, que instrui o processo de extradição contra ele.

O magistrado tomou esta decisão à espera de esclarecer alguns aspectos da ordem de busca e detenção emitida pela Justiça espanhola, sobretudo sobre o crime de apologia ao terrorismo pelo qual Juana Chãos responde.

O juiz impôs a ele, apontado como membro do "comando Madri" da ETA outras condições: terá que residir no endereço que forneceu ás autoridade, não poderá sair entre as oito da noite e as sete da manhã e deverá apresentar-se diariamente em uma delegacia.

Além disso, terá que entregar seu documento nacional de identidade e não lhe poderá deixar a Irlanda do Norte.

Burgess, que solicitou uma cópia traduzida do Código Penal espanhol, fixou a audiência para seguir com o processo para 28 de novembro às 09h30 hora locais (11h30 de Brasília).

Durante a audiência de hoje, Burgess perguntou à defesa de Juana Chaos sobre as razões que levaram a seu cliente a mudar várias vezes de domicílio desde que chegou à Irlanda do Norte.

A Procuradoria, que representa o Governo espanhol neste tribunal, trata estas mudanças de domicílio como mais uma evidência de sua pretensão de burlar a ação da Justiça e os empregou como argumento para rejeitar a concessão da liberdade provisória.

José Ignacio de Juana Chaos mudou-se para Dublin, na Irlanda, quando saiu da prisão, em agosto, após cumprir um ano e meio de prisão por crimes de ameaça - após os 18 em que havia ficado preso por 25 assassinatos cometidos nos anos 80 em Madri.

Na capital irlandesa, alojou-se na casa imóvel do ex-dirigente do Exército Republicano Irlandês (IRA) James Monaghan, segundo ele mesmo informou há dois meses, quando visitou a embaixada da Espanha na capital irlandesa para solicitar um passaporte que lhe foi negado. EFE ja/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG