Antes de viagem de Abbas aos EUA, Netanyahu cobra reciprocidade

Por Jeffrey Heller JERUSALÉM (Reuters) - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse na véspera da visita do presidente palestino, Mahmoud Abbas, à Casa Branca que os palestinos também devem ser pressionados a cumprir suas obrigações de acordo com um plano de paz apoiado pelos Estados Unidos.

Reuters |

Prometendo honrar os acordos internacionais de Israel, que incluem o "mapa do caminho" da paz de 2003 com os palestinos, Netanyahu afirmou: "Queremos um fim ao conflito e queremos reciprocidade nas demandas feitas a ambos os lados, e no cumprimento delas."

Após reunir-se com Netanyahu em 18 de maio, Obama reiterou uma característica importante do mapa do caminho - a criação de um Estado palestino ao lado de Israel - e pediu pela interrupção da expansão dos assentamentos israelenses na Cisjordânia ocupada.

Em discurso ao Parlamento, Netanyahu não endossou diretamente a soberania palestina e disse que prosseguiriam as obras nos assentamentos judaicos já existentes a fim de acomodar as famílias que crescem.

Ele exigiu que a Autoridade Palestina, de Abbas, cumpra com as obrigações determinadas pelo mapa do caminho, incluindo a perseguição a militantes - tarefa que se complicou em 2007, com a tomada da Faixa de Gaza por islâmicos do Hamas.

Em Washington na quinta-feira, Abbas pretende solicitar que Obama pressione Israel a frear a expansão dos assentamentos, disseram autoridades palestinas.

Em resposta a Netanyahu, o assessor de Abbas, Nabil Abu Rdainah, disse que os palestinos haviam cumprido com suas obrigações, mas não Israel, que não havia parado com a construção dos assentamentos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG