Evo Morales deve ser confirmado no referendo de domingo" / Evo Morales deve ser confirmado no referendo de domingo" /

Antes de referendo, Bolívia vive acirramento de confronto

LA PAZ - Membros de grupos oposicionistas da Bolívia anunciaram, nesta segunda-feira, a massificação de uma greve de fome ao mesmo tempo em que mineiros começaram a bloquear uma importante estrada do país. http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/08/04/evo_morales_deve_ser_confirmado_no_referendo_de_domingo_1493796.htmlEvo Morales deve ser confirmado no referendo de domingo

Reuters |

Os novos episódios indicam o recrudescimento da confrontação entre o governo boliviano e seus adversários a apenas seis dias de um referendo confirmatório de mandatos.

O embate ameaça até mesmo atrapalhar as celebrações pelo Dia da Independência, na próxima quarta-feira, e isso devido a um insólito desentendimento entre as autoridades da cidade de Sucre (sul) e líderes do Poder Legislativo a respeito do horário de uma sessão de honra a ser realizada pelo Congresso Nacional.

O presidente boliviano, Evo Morales, um político de esquerda que aposta na votação para reafirmar sua liderança e debilitar o bloco de governadores oposicionistas, deu prosseguimento a sua campanha eleitoral, confiante em vista de pesquisas que indicam a vitória dele nas urnas.

Presidência em jogo

No referendo de 10 de agosto, que a Corte Eleitoral confirmou mais uma vez na segunda-feira apesar de desavenças sobre a interpretação dos resultados, estarão em jogo os cargos de Morales, do vice-presidente Alvaro García e dos governadores de oito de nove Departamentos.

Abrindo uma nova frente na disputa, o comitê cívico de Santa Cruz deu início, no domingo, a uma noite de greve de fome exigindo a 'devolução' de parte de um imposto do petróleo que o governo utiliza para pagar juros de uma dívida.

'Isso serve também para defender o governador (Rubén Costas), o qual desejam prender por ter levado adiante o processo de autonomia', afirmou o presidente do comitê de Santa Cruz, Branko Marinkovic, ao iniciar a greve de fome.

Segundo Marinkovic, os representantes de outros três Departamentos participarão do protesto.

Costas e Marinkovic parecem ter assumido a liderança do bloco de oposição após encabeçarem movimentos regionais responsáveis por desafiar Morales em maio e junho com referendos de autonomia em Santa Cruz (motor da economia boliviana), Tarija (importante produtor de gás natural), Beni e Pando (esses dois últimos situados na Amazônia).

Protestos sociais

A mobilização cívica coincidiu com uma convocação pela Central Operária Boliviana (COB) de um bloqueio de estradas em defesa de uma mudança radical no sistema previdenciário. A manobra surgiu depois de ter fracassado uma longa negociação com o governo.

Funcionários da Huanuni, maior mina estatal do país, obedeceram à COB e, depois de declarar o início de uma greve na sexta-feira, interromperam o tráfego em uma importante estrada da região, na madrugada de segunda-feira.

'Essas mobilizações possuem apenas um propósito eleitoral', afirmou a repórteres o ministro de gverno da Bolívia, Alfredo Rada, ao 'lamentar' que a COB 'faça o jogo da direita'.

Leia mais sobre: Bolívia

    Leia tudo sobre: boliviabolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG