Antes da renúncia, Olmert ainda acredita em acordo israelense-palestino

O primeiro-ministro israelense Ehud Olmert, que pode anunciar a renúncia depois da escolha na quarta-feira de seu sucessor como líder do partido Kadima, ainda acredita em um acordo com os palestinos antes do fim de 2008.

AFP |

"O primeiro-ministro acredita que a porta para um acordo com os palestinos não está fechada e que é possível alcançar este objetivo antes do fim do ano", afirmou nesta terça-feira à AFP Mark Regev, horas antes de um novo encontro entre Olmert e o presidente palestino Mahmud Abbas em Jerusalém.

O porta-voz não entrou em detalhes sobre o tipo de acordo que o premier deseja obter.

Ao ser questionado sobre a margem de manobra de Olmert, o porta-voz destacou que o "primeiro-ministro assumirá todas as responsabilidades".

Depois da renúncia, provocada por acusações de corrupção, Olmert seguirá à frente de um governo de transição até que o sucessor forme um novo gabinete ou até a celebração de eventuais eleições antecipadas, no início de 2009.

Segundo a rádio militar, Olmert espera chegar a um acordo com Abbas com base em um documento que retomaria por escrito as grandes linhas dos pontos de acordo alcançados desde a retomada das negociações de paz israelense-palestinas em novembro de 2007 em Annapolis (Estados Unidos).

Este documento não entraria em detalhes e deixaria de lado o futuro de Jerusalém Oriental.

jlr/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG