Antes da Convenção democrata, os republicanos põem lenha na fogueira

A 24 horas da abertura da convenção democrata nesta segunda-feira em Denver (Colorado, oeste) que deve entronizar Barack Obama como candidato à Casa Branca, líderes republicanos se puseram na defesa de sua ex-adversária Hillary Clinton, excluída da dobradinha presidencial.

AFP |

Escolhendo Joe Biden como companheiro de chapa, "o senador Obama pôs em destaque osuas fraquezas mais que sua força", disse domingo o ex-prefeito republicano de Nova York Rudolph Giuliani.

"A melhor escolha, a escolha evidente teria sido Hillary Clinton", acrescentou Giuliani.

Uma pesquisa publicada neste domingo pelo Washington Post, e realizada antes de Obama anunciar o nome de seu companheiro de chapa, afirma que 70% dos eleitores de Hillary Clinton durante as primárias estão prestes a votar no senador de Illinois em novembro. Mas, segundo a sondagem, 20% dos partidários de Hillary desejam votar no adversário John McCain.

Esse estudo concede apenas quatro pontos de avanço a Obama em relação a McCain (49% contra 45%) na perspectiva do duelo de novembro.

O lado republicano lançou neste domingo um novo videoclipe, divulgado em vários Estados importantes que elogia os méritos de Hillary Clinton em detrimento de Obama.

"Ela obteve milhões de votos mas não está no "ticket" (dobradinha). Por que? Porque ela disse a verdade" sobre as fraquezas de Obama, diz uma voz em off no vídeo, acrescentando: "a verdade dói e Obama não gosta disso".

Hillary Clinton saudou a escolha de Biden como vice de Obama mas a atitude de seus partidários - cerca de 2.000 delegados pró-Hillary devem participar da convenção - permanece uma das principais incógnitas do grande evento.

Hillary Clinton obteve entre 17 e 18 milhões de votos durante as primárias e deve se pronunciar durante a convenção na noite de terça-feira; seu marido, o ex-presidente Bill Clinton, muito crítico em relação a Obama durante as primárias, deve falar na noite de quarta-feira.

Hillary Clinton não garantiu matematicamente o número de delegados necessário para conseguir a indicação democrata mas um escore apertado de Obama poderia destacar a divisão do campo democrata e fragilizar sua candidatura. Tradicionalmente, o candidato democrata é designado por aclamação.

Domingo, durante programas na televisão, vários líderes democratas asseguraram que seu partido estará unido durante a convenção.

O principal estrategista de Obama, David Axelrod, assegurou que o senador de Illinois tem "enorme consideração por Hillary". "Ela terá um papel importante na campanha, será uma voz com que ele contará para fazer avançar o país a um próximo governo", disse Axelrod.

Obama, esperado na noite de quinta-feira em Denver, fazia campanha neste domingo em Wisconsin (norte). Seu candidato a vice Joe Biden foi a seu Estado de Delaware (leste). Os dois homens assistiram cerimônias religiosas pela manhã. Obama, numa igreja luterana de Eau Claire (Wisconsin) e Biden numa igreja católica perto de sua casa em Greenville (Delaware).

McCain está desde quinta-feira em seu rancho de Sedona (Arizona, sudoeste) para preparar a convenção republicana que começa no dia 1º de setembro em Minneapolis-St-Paul (Minnesota, norte).

Apresentado como um dos favoritos para ser seu companheiro de chapa, o governador de Minnesota Tim Pawlenty, ouvido pela CNN, recusou-se a responder a questões relativas ao "ticket" republicano.

aje/tq/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG