Ansiedade toma mineiros conforme resgate se aproxima

Autoridades descartam utilizar qualquer tipo de sedativo para acalmar os trabalhadores presos na mina no Chile

iG São Paulo |

Alguns dos 33 mineiros presos em uma mina no norte do Chile apresentaram quadro de ansiedade, enquanto outros tiveram aumento da frequência cardíaca diante da iminência do resgate, mas não está previsto administração de medicamentos nesse momento, disse nesta sexta-feira o ministro da Saúde, Jaime Mañalich.

"Há alguns que manifestaram ansiedade, como era previsto; outros tiveram aumento da frequência cardíaca além do desejável, estamos cuidando disso", afirmou o ministro em coletiva de imprensa nos arredores da jazida. "Não vamos usar nenhum tipo de sedativo, necessitamos que os mineiros estejam completamente capazes durante a subida", informou Mañalich.

"Tivemos de aumentar o aporte de calorias ao paciente portador de diabetes por conta de suas medições de glicemia, para deixá-lo completamente estabilizado", completou.

O ministro informou também que alguns mineiros apresentam também problemas dentários de certa intensidade", que foram controlados com uso de antibióticos e analgésicos, e que "muitos deles têm problema de pele".

Todos os mineiros serão submetidos, quando saírem da mina, a um exaustivo exame médico, primeiro ao lado do túnel pelo qual serão resgatados, posteriormente em um hospital montado nos arredores da jazida e, finalmente, em um recinto médico da cidade de Copiapó, até onde serão trasladados em helicópteros.

Túnel

Também nesta sexta-feira, o ministro da mineração do Chile, Laurence Goldborne, disse que uma máquina perfuradora deve chegar “dentro de 24 horas” ao local onde 33 mineiros estão presos desde 5 de agosto, depois de um acidente em uma mina do norte do país.

Segundo Goldborne, o resgate dos trabalhadores, soterrados a cerca de 700 metros de profundidade, poderia começar “em três ou oito dias, dependendo da decisão de forrar o túnel ou não”.

A máquina perfuradora T-130, conhecida como plano B para o resgate dos trabalhadores, já escavou 584 metros, de acordo com o jornal chileno La Tercera, e agora faltam apenas 40 metros para chegar ao refúgio onde os mineiros estão presos.

Quando terminar a perfuração, engenheiros vão analisar se é seguro içar os homens para a superfície e se é necessário, como planejado, forrar o túnel com um invólucro de metal - um processo que poderia levar vários dias.

Cronograma

O cronograma de resgate foi reduzido depois que as três escavadeiras utilizadas no local começaram a progredir mais rapidamente do que o previsto. Na semana passada, o governo havia mencionado que as tentativas de resgate começariam na segunda metade de outubro, quando anteriormente o prazo se estendia até o início de novembro.

Assim que o túnel de resgate estiver pronto, uma cápsula de aço, projetada pela Marinha chilena e construída especificamente para este propósito, será utilizada para retirar os trabalhadores da mina.

O plano é que oficiais da Marinha desçam para avaliar a situação e ajudar os mineiros a utilizar a cápsula. O processo de retirada de cada um dos homens presos deve durar uma hora.

*Com AFP, EFE e BBC

    Leia tudo sobre: chilemineirosresgatemina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG