Jerusalém, 18 set (EFE).- A Autoridade Nacional Palestina (ANP) mostrou hoje sua satisfação na Cisjordânia pela vitória da ministra de Assuntos Exteriores israelense, Tzipi Livni, nas primárias desta quarta-feira do partido Kadima, enquanto o movimento Hamas minimizou a importância da escolha.

O fato de Livni, que pode ser a próxima primeira-ministra de Israel, liderar a equipe que negocia a paz com os palestinos deu esperanças à ANP de que as negociações chegarão a um bom final.

O assessor da Presidência palestina, Saeb Erekat, disse hoje que "Livni está profundamente comprometida com o processo de paz e esperamos que continue buscando a paz conosco".

Erekat felicitou a nova presidente do Kadima e deu as boas-vindas à "escolha do povo israelense".

Livni dirigiu o processo de negociação com os palestinos durante o último ano, desde que as conversas foram relançadas, em novembro de 2007, na cúpula em Annapolis (EUA).

A Presidência do Kadima abrirá a Livni as portas para a Chefia do Governo, se conseguir formar uma coalizão ou manter os aliados atuais.

Na Faixa de Gaza, o Hamas não deu maior importância à mudança no Kadima que, segundo o porta-voz do movimento islâmico, Fawzi Barhum, é "a continuação das agressivas políticas de Israel contra o povo palestino".

Para Barhum, as primárias do Kadima só representaram "uma competição entre os extremistas e os racistas contra o povo palestino", e a reação dos palestinos a seu resultado não deve ser outra que "manter a opção da resistência como escolha estratégica".

EFE aca/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.