ANP condena decisão israelense de construir em colônias de Jerusalém

Ramala, 28 dez (EFE).- A Autoridade Nacional Palestina (ANP) condenou hoje a decisão do Ministério da Habitação israelense de lançar uma licitação para a construção de cerca de 700 casas para colonos em assentamentos de Jerusalém Oriental.

EFE |

O chefe de negociação palestino, Saeb Erekat, disse, em comunicado enviado à imprensa, que a ANP condena a decisão e pediu que os Estados Unidos obriguem o Estado judeu a parar imediatamente a construção nas colônias no território ocupado, "a fim de salvaguardar o princípio da solução de dois Estados".

O Quarteto de Madri para o Oriente Médio (EUA, União Europeia, Rússia e ONU) elaborou o plano de paz denominado Mapa do Caminho, que foi aprovado por palestinos e israelenses, mas estes últimos, com reservas.

A iniciativa determinava que Israel suspendesse a construção nos assentamentos e a criação de um Estado palestino independente junto ao de Israel.

"Os EUA têm que assumir que as atuais políticas do Governo israelense só apoiam os assentamentos e não o processo de paz. Sua opção é a dos assentamentos, e não a paz", disse Erekat.

A expansão de assentamentos judaicos é considerada um dos principais obstáculos para a retomada das negociações de paz entre israelenses e palestinos e foi duramente condenada por EUA e UE.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou no mês passado uma interrupção de dez meses na construção de novas casas para colonos na Cisjordânia, mas esta não inclui edifícios públicos nem casas cujos alicerces já tenham sido colocados. EFE sar-db/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG