Ano ruim para mercados termina com toque de esperança na Ásia

Por Rafael Nam HONG KONG (Reuters) - Os mercados acionários da Ásia encerraram nesta quarta-feira o pior ano da história, depois de 12 meses de turbulências econômicas e financeiras, mas o otimismo com a possibilidade de melhora do cenário em 2009 garantiu a terceira sessão consecutiva de alta para as ações da região.

Reuters |

"Foi um ano péssimo, praticamente nada foi poupado no massacre", afirmou Michael Heffernan, conselheiro-sênior e estrategista da Austock Group, na Austrália.

Olhando para 2009, entretanto, o analista mostrou-se otimista.

"O sangue foi drenado e nós estamos agora recebendo uma transfusão", acrescentou.

O índice MSCI da região Ásia-Pacífico, que exclui o mercado acionário japonês, subiu 0,73 por cento, para 246 pontos, mas olhando o desempenho anual do indicador, o cenário foi bem feio.

O índice acumulou em 2008 uma queda de pouco mais de 50 por cento, o pior desempenho já registrado pelo indicador.

OTIMISMO NATALINO

Ainda assim, o ano de 2008 terminou com certo fôlego. O mês de dezembro marca o primeiro ganho mensal do índice MSCI desde abril. O indicador acumula um ganho de 25 por cento agora, na comparação com o cenário do final de novembro, quando ele atingiu o menor patamar em cinco anos.

Os ganhos vieram apesar de persistentes sinais ruins em dezembro vindos do fronte econômico, o que pode indicar que os investidores já podem estar descontando parte do ambiente pessimista.

"A maior parte das notícias ruins que podemos pensar já foram ouvidas este ano", afirmou Winson Fong, diretor da SG Asset Management, em Hong Kong.

Na terça-feira, dados mostraram que a confiança do consumidor nos Estados Unidos atingiu recorde de baixa e a temporada vendas de fim de ano foi a mais fraca desde 1970.

Ainda assim, o principal indicador acionário da Austrália fechou o pregão desta quarta-feira com alta de 1,9 por cento, enquanto a bolsa de Hong Kong subiu 1,1 por cento.

Na contramão, as bolsas de Xangai e de Cingapura encerraram o último pregão do ano com desvalorizações de 0,66 e 0,51 por cento, respectivamente. O principal indicador acionário de Xangai amargou um tombo de 65 por cento no ano, a maior queda anual entre os grandes índices globais de ações.

Os mercados no Japão e na Coréia do Sul fecharam suas operações na véspera.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG