Annie Lennox lamenta feminização da aids e alerta sobre perda de gerações

México, 2 ago (EFE).- A cantora Annie Lennox afirmou hoje na capital mexicana que o mundo enfrentará o total desaparecimento de muitas gerações se não continuarem os esforços para intensificar a luta contra a aids, doença que afeta milhões de mulheres.

EFE |

Lennox defendeu que desejaria que a pandemia de aids não atingisse as mulheres, mas acrescentou que "tragicamente, como todos sabem, milhões de vidas de mulheres estão sendo afetadas agora".

A cantora fez estas declarações durante a 5ª Reunião da Coalizão de Primeiras-Damas e Mulheres Líderes da América Latina sobre Mulher e Aids, que hoje realizou um encontro, um dia antes do começo na capital mexicana da 17ª Conferência Mundial sobre Aids ("Aids 2008").

A artista escocesa, que se mostrou "emocionada e honrada" de participar da reunião da coalizão, considerou que a realização no México da "Aids 2008 é uma oportunidade de ouro" para abordar o tema da doença na região.

"Temos a oportunidade hoje neste ponto da história, em 2008 na Cidade do México, de verdadeiramente fazer uma diferença e trabalhar conjuntamente", manifestou Lennox, ativista da luta contra a aids desde 2003, ano em que realizou um show na África do Sul.

"Sem nossa ação enfrentaremos o desaparecimento de muitas gerações, algo que podemos verdadeiramente evitar", apontou a cantora.

Sobre isso, lembrou que um terço das mulheres grávidas na África do Sul estão infectadas com o vírus, e sem o tratamento adequado pode ser transmitido aos filhos.

Lennox, que acompanha as atividades da "Aids 2008" pela ONG Oxfam, disse que as mulheres devem "reconhecer e trabalhar juntas para facilitar que a sociedade entenda o que significa esta pandemia".

"Não sou especialista nem política, sou artista, escritora e comunicadora, e também mãe, e acho que as mães e os filhos têm direito a ter um futuro", disse Lennox. EFE jd/bm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG