Annan pede que países poluentes paguem mais para atenuar mudança climática

Genebra, 22 abr (EFE).- O ex-secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, pediu hoje que os países que mais poluem e que mais contribuem para a mudança climática sejam os que pagam mais para mitigar suas conseqüências.

EFE |

"Aqueles que menos contribuíram para a mudança climática estão sofrendo mais por isto. Ajudar os pobres a se adaptarem é nossa responsabilidade e os que contaminam devem pagar", declarou Annan em entrevista coletiva.

Para poder convencer desta teoria e "colocar de uma vez o foco no tema", o ex-secretário-geral das Nações Unidas anunciou hoje que a primeira Cúpula anual do Fórum Humanitário Global versará justamente em encontrar soluções concretas e aplicáveis a curto prazo para diminuir os efeitos da mudança climática nas povoações mais pobres.

O Fórum surgiu de uma iniciativa conjunta da ministra de Assuntos Exteriores da Suíça, Micheline Calmy-Rey, e do ex-secretário-geral das Nações Unidas, que o preside.

No conselho diretor há figuras de destaque como a ex-presidente da Irlanda Mary Robinson, ou o presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) e prêmio Nobel da Paz, Rajendra Pachauri.

A Cúpula acontecerá nos dias 24 e 25 de junho em Genebra.

"Se fala de mitigar e de se adaptar. Porém, os poluentes têm que se envolver muito mais para realmente mitigar e depois todo o conjunto deve se adaptar", acrescentou o ex-secretário-geral da ONU.

"Já temos claro que a mudança climática afeta a saúde, a segurança, a estabilidade social e o desenvolvimento de um país. O problema já está identificado, devemos atuar", acrescentou.

Apesar desta certeza, Annan não apontou soluções concretas e se limitou a dizer que se comprometia a fazer com que a Cúpula do Fórum Humanitário não se transforme em um fórum de discussão, nem em um grupo de pressão, mas queria que do encontro saíssem compromissos e projetos concretos.

"Desejamos criar grupos de trabalho conjuntos. Talvez unir Governos, empresas, organizações", afirmou.

Annan acrescentou: "Hoje os problemas não podem ser resolvidos penas pelos Governos, é necessária a colaboração da sociedade civil, do setor privado".

Ele citou então que o Fórum colabora de forma estreita com várias ONGs entre as quais citou a Oxfam.

Por outro lado, o ex-secretário-geral da ONU se mostrou muito preocupado pelo aumento dos preços dos alimentos e pela atual crise de alimentos.

Afirmou que parte da culpa é da mudança climática, e disse que os biocombustíveis também podem ter parte de responsabilidade no aumento dos preços, mas negou que fossem a única causa.

Por tudo isto, Annan se mostrou muito preocupado pelo fato de os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio não terem sido cumpridos, "é horrível ver como vários países estão retrocedendo".

Por outro lado, o ex-secretário-geral se referiu à situação no Zimbábue, e disse que é "inadmissível" que três semanas após as eleições ainda não tenham sido divulgados os resultados do pleito.

"Quando alguém se compromete com as eleições tem que aceitar as regras do jogo", concluiu o ex-secretário-geral da ONU. EFE mh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG