Anistia protesta contra execuções no Iraque

A Anistia Internacional disse nesta sexta-feira que 28 pessoas condenadas à pena de morte no Iraque foram executadas nesta semana sem direito a julgamentos justos. A entidade, sediada em Londres, pediu uma moratória no uso da pena de morte no Iraque.

BBC Brasil |

Segundo a organização não-governamental, as execuções foram realizadas após julgamentos aparentemente "apressados e injustos".

"Os executados foram presos em conflitos que aconteceram nas últimas três semanas", diz a Anistia, em comunicado. "O fato de serem presos, sentenciados e executados em um período tão curto levanta preocupações sérias sobre o processo de julgamento."
"As autoridades iraquianas precisam revelar todas informações relevantes sobre esses julgamentos, incluindo se os executados tiveram acesso à representação legal ou não", acrescenta a nota oficial.

Segundo a entidade, o governo iraquiano argumentou, em 2004, que a instituição da pena de morte ajudaria a reduzir a violência generalizada no país.

"A realidade, na verdade, é que a violência continua inabalada e que a pena de morte não foi um agente de redução", diz a ONG.

A Anistia Internacional faz campanha em todo o mundo contra a pena de morte.

    Leia tudo sobre: iraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG