Angelina Jolie e Microsoft se unem para ajudar crianças imigrantes

Washington, 17 out (EFE) - A atriz Angelina Jolie, a Microsoft e mais de 25 escritórios de advocacia dos Estados Unidos anunciaram hoje a criação de uma organização em defesa de crianças imigrantes ou refugiados que não tem companhia adulta. Chamada de Crianças que Precisam de Direção (Kind, em inglês), a nova associação nasce com o objetivo de fornecer conselho legal gratuito, competente e humanitário a este coletivo tão frágil. Angelina Jolie disse em comunicado que estas crianças freqüentemente não têm dinheiro, nem apoio, nem família e, mesmo assim, vêm aos Estados Unidos em busca de uma vida melhor. No entanto, muitos deles terminam perdidos, traumatizados e em última instância, esquecidos. A Kind lhes oferece a oportunidade de proteger seus direitos legais e fazer com que suas vozes sejam ouvidas.

EFE |

O advogado geral da Microsoft, Brad Smith, disse, em Washington, que, "a cada ano, aproximadamente oito mil crianças que foram separadas de suas famílias passam pelos procedimentos do sistema de imigração dos Estados Unidos".

"A metade destas crianças passa por isso sem representação legal", disse o advogado, que acrescentou que, precisamente, "a Kind tenta diminuir esta brecha e assegurar que toda criança tenha acesso a conselho legal durante seu processo de imigração".

Deste modo, Smith espera que outras companhias se inspirem em sua participação para poder recrutar mais representantes da comunidade legal e oferecer a estes menores a proteção fundamental da qual precisam.

Segundo a corporação, as leis americanas não dão ajuda legal às crianças que não estejam acompanhadas de um adulto nos procedimentos judiciais de imigração.

Sem a ajuda gratuita de um advogado, os menores têm dificuldades para entender os processos e as opções legais que podem ter a seu alcance.

Angelina amplia, com este novo projeto, suas tarefas humanitárias como embaixadora de boa vontade do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

O objetivo imediato da nova associação é trabalhar em estreita colaboração com escritórios de advocacia e departamentos de direito corporativo para recrutar, treinar e adestrar advogados que representem os menores nas cidades onde a Kind atua, como Nova York, Boston, Filadélfia, Washington, Los Angeles, Seattle e Houston.

Atualmente, a nova organização já recebeu mais de US$ 2 milhões em doações em dinheiro e cerca de 25 prestigiosos escritórios de advocacia e departamentos de direito corporativo se comprometeram a contribuir com mais de 13 mil horas pró-bônus durante seu primeiro ano de operação. EFE ag/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG