Anestesista de Eluana recebeu 500 denúncias pelo caso

Roma, 11 fev (EFE).- O anestesista Amato De Monte, que colocou em prática o protocolo médico para interromper a alimentação de Eluana Englaro, recebeu cerca de 500 denúncias por este caso, informou hoje a agência italiana Agi.

EFE |

Os primeiros resultados da autópsia, divulgados hoje, indicam que a mulher morreu por causa de uma parada cardíaca provocada pela desidratação.

O jornal "La Repubblica" afirmava hoje que o exame e seus resultados "absolvem" os médicos.

O advogado da família Englaro, Giuseppe Campeis, disse à imprensa que denunciará todas as difamações, em resposta à publicação de insinuações e suspeitas de que a morte de Eluana foi provocada.

Campeis afirmou que algumas denúncias são "caluniosas", entre as quais pode haver algumas de personalidades políticas.

Segundo os primeiros resultados da autópsia, a morte de Eluana é compatível com o previsto no protocolo médico elaborado de acordo com o tribunal de Milão que permitiu a interrupção da alimentação da italiana.

A confirmação destes dados poderia ocorrer hoje por parte dos peritos e, em uma segunda fase, pelo exame toxicológico.

Os resultados deste segundo exame pode levar dias ou semanas para ficarem prontos. EFE fab/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG