Andy García critica castrismo e pede fim da repressão em Cuba

Nova York, 24 abr (EFE).- O ator Andy García considerou hoje importante que os Estados Unidos tenham acabado com algumas restrições a Cuba, embora tenha destacado que o maior problema da ilha é o embargo interno exercido sobre os direitos humanos.

EFE |

"O regime castrista é repressivo e deve mudar, já que mantém um embargo sobre os direitos dos próprios cubanos que impede que haja liberdade", afirmou o ator, que nasceu em Cuba e imigrou para os EUA, junta à família, quando tinha apenas cinco anos.

Em entrevista à Agência Efe em Nova York, García, que louvou as medidas tomadas na semana passada pelo presidente dos EUA, Barack Obama, e destacou que, na atualidade, cidadãos de outros países não podem ter "uma relação direta com um cubano, já que só se pode ter com o Governo".

O ator reconheceu que ainda mantém a esperança de que "a promessa da revolução (de Cuba) - liberdade e democracia - vá ser cumprida".

"A internet ajudará a que isso aconteça porque já não se pode esconder do mundo exterior o que ocorre em Cuba. O povo agora se dá conta de que há milhares de presos políticos, e uma repressão e uma falta de liberdade", completou. EFE bs/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG