Amorim pede reforma de Conselho de Segurança além da Índia

Para chanceler brasileiro, órgão das Nações Unidas deve incluir também países emergentes como Brasil e africanos

iG São Paulo |

O Brasil criticou nesta terça-feira o apoio do presidente americano, Barack Obama, à Índia como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, dizendo que o projeto deve ser ampliado. Para o chanceler brasileiro, uma reforma deve incluir outros países emergentes no principal órgão de decisão das Nações Unidas.

AP
Chanceler brasileiro insiste em reforma para ampliar Conselho de Segurança (foto de arquivo)
"É muito positivo que o presidente Obama tenha mencionado a Índia porque mostra que tem o espírito aberto ao tema dos países em desenvolvimento", declarou em Maputo o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Celso Amorim. "Mas nenhuma reforma das Nações Unidas pode ser feita com apenas um país", acrescentou Amorim, durante a viagem a Moçambique do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Amorim insistiu que "a menção feita à Índia demonstrou que os EUA aceitam os candidatos do mundo em desenvolvimento e abrem as portas a outros grandes países emergentes, como Brasil e outros da África".

Após sua visita de três dias a Nova Délhi, o presidente americano declarou na segunda-feira que esperava "nos próximos anos um Conselho de Segurança da ONU reformado que inclua a Índia como membro permanente".

Estrutura

Atualmente, o Conselho de Segurança é integrado por cinco membros permanentes com direito a veto - Estados Unidos, China, França, Rússia e Grã-Bretanha - e dez membros rotativos.

Há anos, vários países lutam por uma reforma do Conselho de Segurança. Índia, Brasil, Alemanha, Japão e África do Sul aparecem muitas vezes entre os prováveis candidatos mas, segundo analistas, nenhuma reforma está prevista.

*Com AFP

    Leia tudo sobre: amorimconselho de segurançaíndiaobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG