Amorim diz que relação com Honduras depende do trato a zelayistas

São Paulo, 27 jan (EFE).- O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou hoje que o reconhecimento do Brasil ao novo Governo de Honduras, presidido por Porfirio Lobo, dependerá do tratamento dado a Manuel Zelaya e seus seguidores.

EFE |

De Genebra, onde participa da reunião extraordinária do Conselho de Direitos Humanos da ONU dedicada ao Haiti, o chanceler disse que tudo depende de como "Zelaya e as correntes que representa serão tratadas no futuro", como noticia a "Agência Brasil".

No entanto, Amorim destacou que o problema não está em reconhecer ou não o Governo Lobo, mas no tipo de relação que será mantida.

Lobo assumiu hoje como presidente hondurenho depois da profunda crise política gerada no país com o golpe de Estado que derrubou Zelaya e pôs Roberto Micheletti no poder.

Zelaya, que desde setembro estava na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, deixou hoje Honduras rumo à República Dominicana. EFE az/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG