Amorim diz que redução dos subsídios agrícolas diminuiria imigração

Rio de Janeiro, 17 jul (EFE).- O ministro das Relações Exteriores Celso Amorim afirmou hoje que os países desenvolvidos poderão resolver o problema da imigração se reduzirem os subsídios à agricultura.

EFE |

Amorim disse que os países ricos terão essa oportunidade nas negociações da Rodada de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC), que serão retomadas na próxima semana, em Genebra.

A Rodada de Doha está praticamente paralisada, em parte pela resistência dos países mais desenvolvidos em levantar os subsídios à agricultura.

"Isso é o que os países ricos têm que entender: a melhor maneira de diminuir a imigração é com um bom resultado (nas negociações) que favoreça os países em desenvolvimento na Rodada de Doha", afirmou o ministro em discurso no Rio de Janeiro.

Amorim explicou que os fluxos migratórios são produzidos pela necessidade dos habitantes dos países em desenvolvimento de buscar melhores condições de vida em outros lugares.

Segundo ele, entre os subsídios que têm que ser reduzidos está o que os americanos concedem a seus produtores de milho destinado à fabricação de etanol, biocombustível que o Brasil é o maior exportador mundial.

O chanceler disse estar otimista sobre a reunião informal de ministros de vários países da OMC da próxima semana para tentar salvar as negociações da Rodada de Doha.

Além disso, anunciou que viajará hoje mesmo a Genebra para participar de algumas reuniões preparatórias prévias ao encontro de ministros. EFE cm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG