Amorim desqualifica G8 como fórum de decisões e defende G20

Paris, 12 jun (EFE).- O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou hoje que o G8 (Grupo dos Oito, que reúne os sete países mais ricos e a Rússia) está morto como grupo político de decisão, já que não representa mais nada e não é uma instância válida para elaborar a reforma do sistema financeiro.

EFE |

"Não se pode prescindir" de países emergentes como Brasil, China ou Índia neste tipo de questões, levando em conta seu crescente peso econômico, afirmou Amorim, que participou, capital francesa, do seminário do décimo aniversário da cátedra Mercosul do Instituto de Estudos Políticos de Paris.

O chanceler considerou que, no lugar do G8, o Grupo dos Vinte (G20, os países mais ricos e principais emergentes) "é um modelo melhor".

Amorim afirmou que, agora, é necessário "formalizar" essa nova realidade em instituições como o Fundo Monetário Internacional (FMI), e ressaltou que o Brasil deseja reforçar o papel do G20 nas discussões sobre assuntos econômicos e financeiros, e ampliar o campo dessa instância a outros terrenos.

Como exemplo, falou das questões de desarmamento, em particular depois que o presidente americano, Barack Obama, lançou a proposta, a primeira feita por um líder dos Estados Unidos, de eliminar todas as armas nucleares.

O ministro, que discursou no seminário depois do diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy, acrescentou que o fórum mais adequado pode variar em função do assunto que se trate, porque os países estão "entrando em um mundo de governança variável".

Amorim reconheceu que "é muito mais difícil modificar a governança mundial no terreno da segurança", mas, ao mesmo tempo, "é o grande desafio que teremos nos próximos anos".

Ele explicou que o mundo está mudando e que os instrumentos de gestão global já estavam começando a se modificar na OMC, onde foi criada a instância do G20, uma evolução que é preciso atribuir "à capacidade de articulação diplomática" de países como Brasil ou Índia. EFE ac/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG