A ativista Aminatu Haidar desembarcou na madrugada desta sexta-feira em El Aaiun, principal cidade do Saara Ocidental, procedente das ilhas Canárias (Espanha), após interromper uma greve de fome que entrara no segundo mês.

Aminatu Haidar cumpriu as formalidades de entrada no aeroporto ao responder na ficha de desembarque que chegava ao Marrocos, informou a polícia.

"Esta é uma vitória do direito internacional, dos direitos humanos, da justiça internacional e da causa saraui", afirmou Haidar na noite de quinta-feira à imprensa.

"A primeira coisa que vou fazer ao chegar será beijar minha mãe e meus dois filhos", afirmou Haidar, antes de partir numa ambulância a caminho do aeroporto de Lanzarote.

Haidar, de 42 anos, realizou uma greve de fome de 32 dias para forçar sua volta à capital do Saara Ocidental, onde residem seus dois filhos. Ela teve a permissão de entrada no país negada pelo Marrocos sob a alegação de que renegou a nacionalidade marroquina.

Haidar foi expulsa em 14 de novembro do Saara Ocidental pelas autoridades do Marrocos, a quem acusa de ter confiscado seu passaporte marroquino.

afp/sd/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.