Americanos vendem fluidos corporais para superar crise

Paula Gil. San Francisco (EUA), 10 dez (EFE).- Preocupados com a hipoteca, a queda de suas ações e o desemprego, cada vez mais americanos estão lançando mão de um recurso nada convencional: a venda de seus tecidos e fluidos corporais.

EFE |

A venda de sangue, sêmen, óvulos e, inclusive, cabelos cresceu com força nos últimos meses nos Estados Unidos, onde diversas agências afirmam que tem aumentado o número de pessoas que tentem fazer este tipo de negócio, embora nem todas passem por rigorosos controles.

Enquanto o número de americanos que recebe o seguro-desemprego atingiu, no mês passado, o recorde dos últimos 26 anos, o número de visitas em sites como o BloodBanker.com, especializado em informação sobre doações de sangue retribuídas, aumentou 50% nos últimos meses.

O preço de uma doação de plasma pode chegar a US$ 50 nos EUA.

Segundo a associação Plasma Protein Therapeutics, a tendência de alta começou já em 2007, quando o número de doações chegou a 15,3 milhões, frente aos 10,3 milhões de 2003.

Mais rentável ainda é a doação de esperma, com preços entre US$ 60 e US$ 100 por sessão. O Seattle Sperm Bank, no estado de Washington, assegura que recebe atualmente cerca de 150 pedidos para doar, três vezes mais do que o habitual nestas datas.

Até mesmo o cabelo pode ser valioso em tempos de crise. O site TheHairTrader.com, um dos principais endereços de compra e venda do produto, diz que recebeu um número de visitas 20% maior nos últimos dois meses.

"Estamos trabalhando para iniciar um novo site o mais rápido possível e poder nos adaptar ao maior número de visitantes da página", disse à Agência Efe Jacalyn Elise, fundadora da página.

Neste site, milhares de pessoas - geralmente mulheres - põem sua cabeleira à venda a preços que podem ultrapassar, inclusive, os US$ 2 mil.

"Se parece que é caro demais, faça-me uma oferta. Preciso realmente do dinheiro para seguir em frente", disse uma mulher do Colorado que vende seus fios morenos de 70cm de comprimento por US$ 750.

No Texas, a agência de doação de óvulos The Donor Solution afirma que tem recebido cada vez mais ofertas de doadores, embora a maioria não cumpra os requisitos mínimos.

"O número de pedidos para doar que recebemos a cada semana triplicou, mas são pessoas geralmente sem emprego, sem estudos.

Gente que não preenche os requisitos", disse à Efe Mary Fusillo, diretora da agência.

Fusillo também afirmou que muitas das pessoas que procuram a agência desconhecem que o processo de doação de óvulos é longo, complicado e requer que a mulher siga um tratamento hormonal.

Oficialmente, os óvulos não são pagos, mas as doadoras recebem uma compensação econômica que oscila entre US$ 4 mil e US$ 6 mil pelos deslocamentos e as horas de trabalho perdidas.

Esta e outras agências impõem alguns requerimentos para os doadores em potencial, como a idade - não costumam aceitar mulheres com mais de 32 anos. Formação, situação econômica, número de filhos e motivação para doar também são quesitos avaliados.

As agências de doação de sêmen, um processo muito mais simples, têm estritos controles e a maioria dos interessados não passa na seleção. Calcula-se que os quatro principais bancos do país tenham, em conjunto, apenas mil doadores ativos.

Já vender cabelo a um bom preço é complicado, e também é preciso cumprir certos requisitos.

No TheHairTrader.com o número de ofertas é espantoso e milhares de vendedores competem com fotos de cabelos longos e sedosos que supostamente não conheceram permanentes, produtos químicos e nem o ar quente do secador. EFE pg/ab/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG