Americanos levam Nobel de Mecicina por estudo sobre cromossomos

Três cientistas americanos que descobriram uma enzima que ajuda o cromossomo a proteger o código genético ganharam o prêmio Nobel de Medicina, anunciado nesta segunda-feira.

BBC Brasil |

Elizabeth H. Blackburn, Carol W. Greider e Jack W. Szostak "resolveram um importante problema na biologia" ao definir como os cromossomos podem ser copiados de forma completa durante a divisão celular e protegidos da degradação, segundo o instituto Karolinska.

A resposta está nas extremidades dos cromossomos - os telômeros - e na enzima responsável por sua formação, a telomerase.

As pesquisas ajudaram a entender melhor o envelhecimento humano e o desenvolvimento de cânceres e das células-tronco.

"As descobertas de Blackburn, Greider e Szostak adicionaram uma nova dimensão ao nosso entendimento da célula, clarificaram mecanismos de doenças e estimularam o desenvolvimento de novas terapias", disse o comitê.


Da esquerda para a direita: Elizabeth Blackburn,
Carol Greider e Jack Szostak, vencedores do Nobel de Medicina

Blackburn, que é cidadã americana e australiana, dá aula de Biologia na Universidade da Califórnia.

Greider é professora do departamento de Biologia Molecular e Genética da Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins.

Já Szostak é membro da Escola de Medicina de Harvard desde 1979 e também é afiliado ao Instituto Médico Howard Hughes.

Os três dividirão o prêmio de US$ 1,4 milhões (cerca de R$ 2,5 milhões).

Os prêmios de Física, Química e Literatura serão anunciados ainda nesta semana, enquanto o Nobel de Economia será divulgado na próxima segunda-feira.

Leia mais sobre Prêmio Nobel

    Leia tudo sobre: prêmio nobel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG