Americanos estão menos preocupados com ameaça terrorista, revela pesquisa

Washington, 2 jul (EFE).- Os americanos estão menos preocupados com a possibilidade de um ataque terrorista contra seu país, segundo uma pesquisa divulgada hoje pela rede CNN.

EFE |

A enquete, realizada pela empresa Opinion Research Corporation, revelou que apenas 35% dos americanos acreditam na possibilidade de um ataque terrorista em alguma parte do país nas próximas semanas.

Esse é o menor percentual desde os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, que feriram e mataram mais de 3 mil pessoas.

Entre 2002 e 2006, enquetes similares durante o verão (do hemisfério norte) mostraram que a maioria dos americanos acreditava na probabilidade da realização de um novo ataque. No último verão, o percentual caiu para 41%, e este ano caiu mais 6 pontos percentuais.

A mesma pesquisa mostrou que apenas 30% dos entrevistados apóiam a ocupação do Iraque, e 68% são contrários à campanha iniciada em março de 2003 com a invasão americana.

Aproximadamente um terço dos possíveis eleitores acredita que seria conveniente que o próximo presidente dos Estados Unidos mantivesse no Iraque o mesmo número de soldados atualmente destacados no país.

Enquanto o candidato republicano à Casa Branca, John McCain, apóia a Guerra do Iraque, seu adversário, o aspirante democrata Barack Obama, se opôs à invasão e disse que retirará a maior parte das tropas americanas do país.

"A maior força de McCain está na política externa e, particularmente, em sua imagem como o candidato mais capacitado para combater o terrorismo", disse o diretor de pesquisas da "CNN", Keating Holland.

"À medida que a ameaça de um ataque terrorista continua se dissipando na mente do eleitor americano, é provável que a situação econômica e outros assuntos domésticos passem a ser mais importantes", acrescentou.

"Isto seria uma boa notícia para Obama, já que os democratas atualmente estão na frente dos republicanos nas enquetes sobre quase todos os problemas do país, com exceção do terrorismo", disse Holland.

Outro problema para McCain é a impopularidade do atual presidente dos EUA, George W. Bush.

A pesquisa revelou que apenas 30% dos possíveis eleitores aprovam a gestão presidencial de Bush, enquanto 68% a criticam.

A enquete foi realizada entre 26 e 29 de junho e ouviu 906 eleitores americanos registrados. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. EFE jab/wr/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG