Americanos detidos no Irã são libertados, diz mídia estatal

Condenados por espionagem e por entrar ilegalmente no Irã, Shane Bauer e Joshua Fattal estavam presos havia dois anos no país

iG São Paulo |

Os americanos Shane M. Bauer e Joshua F. Fattal foram libertados sob fiança nesta quarta-feira da prisão de Evin, no norte da capital iraniana, após terem ficado presos por dois anos sob acusação de espionagem, informou a mídia estatal iraniana.

Segundo a agência oficial Irna, os dois, ambos de 29 anos, partiram do aeroporto Mehrabad de Teerã às 19h local (11h30 de Brasília) a bordo de um avião rumo a Omã antes de viajar aos EUA na companhia de suas famílias. O pai de Bauer, sua mãe e suas duas irmãs viajaram a Omã para recebê-lo, e o pai, a mãe e o irmão de Fattal fizeram o mesmo.

Esse é "o dia mais feliz de nossas vidas", comemoraram as famílias dos dois americanos em um comunicado, no qual agradeceram ao sultão de Omã e ao embaixador da Suíça no Irã por terem contribuído para a libertação. "É o dia mais feliz de nossas vidas. Esperamos esse momento por quase 26 meses, e a alegria e alívio que sentimos (...) não têm limites", disseram.

O presidente dos EUA, Barack Obama, reagiu afirmando que a libertação dos dois turistas americanos é uma "notícia formidável". "Estamos muito satisfeitos (...) esse é um dia maravilhoso para eles e para nós", declarou Obama a jornalistas em Nova York, onde participa da Assembleia Geral da ONU.

O presidente Obama também saudou, em um comunicado divulgado pela Casa Branca, "os esforços incansáveis de suas famílias durante esses dois anos".

Bauer e Fattal saíram da prisão em um comboio de veículos a bordo dos quais se encontravam diplomatas da Suíça e de Omã, assim como "representantes do governo de Omã que chegaram a Teerã para a libertação", afirmou a Irna. Antes da libertação, Masoud Shafiei, advogado dos americanos, disse que eles seriam entregues a diplomatas suíços, cujo país representa os interesses americanos no Irã na ausência de relações diplomáticas entre Washington e Teerã.

A fiança de US$ 500 mil dólares por cada foi paga por Omã. Em 21 de agosto, o procurador-geral de Teerã, Abbas Jaafari Doulat Abadi, confirmou oficialmente a sentença de oito anos de prisão para Bauer e Fattal, detidos em 31 de julho de 2009 ao lado da também americana Sarah Shourd, de 32 anos, quando faziam trilhas em uma área montanhosa do Curdistão iraquiano, onde a fronteira entre Irã e Iraque é difusa.

Há um ano, Sarah foi libertada por motivos de saúde e humanitários, pagando uma fiança de US$ 500 mil. Ela voltou para os EUA, mas seus dois companheiros permaneceram em uma prisão de Teerã.

Ao confirmar a sentença de Bauer e Fattal, Abadi esclareceu que os condenados tinham 20 dias para recorrer da sentença, o que foi feito pelo advogado de ambos.

Os três acusados tinham se declarado inocentes e haviam pedido a absolvição. Segundo eles, em nenhum momento tiveram intenção de entrar em território iraniano. Eles disseram ter se perdido e errado o caminho.

A notícia da soltura dos americanos vem um dia antes do discurso do presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York.

Com AP, Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: irãamericanosprisãoahmadinejad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG