Americanos comparecem em massa às urnas em eleição histórica nos EUA

Washington - Os Estados Unidos realizam hoje um pleito histórico que pode registrar um recorde de participação de eleitores e no qual o democrata Barack Obama aspira a derrotar seu adversário republicano, John McCain, e se transformar assim no primeiro presidente negro do país.

EFE |

As filas quilométricas são constantes desde as primeiras horas de hoje em todo o país, que além de escolher o sucessor do atual e impopular ocupante da Casa Branca, George W. Bush, renova o plenário da Câmara dos Representantes, um terço do Senado e 11 postos de governador.

A participação em massa enfrentou alguns imprevistos, entre eles problemas com as máquinas de votação em estados como Nova Jersey e Nova York.

"Às 7h30 (10h30 de Brasília) já tinha votado tanta gente quanto às 12h (15 de Brasília) em 2004", disse John Ritch, um funcionário de um colégio eleitoral em Chappaqua, Nova York, ao "The Wall Street Journal", em um reflexo do entusiasmo gerado por este pleito.

Obama e seus correligionários democratas partem como claros favoritos em umas eleições com as quais esperam mudar o mapa político do país.

O senador por Illinois votou na primeira hora de hoje em Chicago, acompanhado de sua mulher e suas duas filhas, Malia e Sasha, após seu último grande comício ontem na Virgínia, em um dia em que enfrentou ainda a notícia da morte de sua avó, Madelyn Dunham, aos 86 anos no Havaí.

"Votei", disse Obama com um comprovante na mão no colégio eleitoral próximo à sua residência de Chicago.

Seu candidato à Vice-Presidência, Joe Biden, também acordou cedo para votar em companhia de sua mãe em uma escola de Delaware, o estado do senador, onde as filas de estendiam por várias quadras.

Obama e Biden se reunirão esta noite em Chicago para o que esperam que seja uma grande celebração, mas antes, ainda realizarão um último esforço de campanha.

O aspirante democrata à Casa Branca pretende se reunir de maneira informal com um grupo de eleitores em Indiana, enquanto que seu companheiro de chapa participará de um último ato na Virgínia.

Já McCain votou esta manhã em Phoenix, no Arizona, e participará de vários comícios nos estados vizinhos do Novo México e Colorado.

"Vamos trabalhar duro até o fechamento das urnas", disse hoje em uma entrevista à rede de televisão "CBS", depois de realizar ontem uma viagem por sete estados do país, após a qual afirmou que se tornaria presidente dos EUA.

Sua candidata à Vice-Presidência, Sarah Palin, chegou ao Alasca esta madrugada para votar na cidade de Wasilla e, no final do dia, irá ao Arizona para participar da festa eleitoral republicana.

O enorme interesse suscitado por esta disputa era claro hoje em lugares como Ohio, o estado que deu a vitória a Bush em 2004 e onde os eleitores mais entusiastas começaram a fazer fila mais de uma hora antes da abertura dos colégios eleitorais.

As projeções são de que a participação poderia superar 80% do eleitorado no estado.

Cenas similares se repetiam em lugares como Virgínia, um dos estados em que Bush ganhou em 2004 e no qual a direita americana vê seu reinado ameaçado.

Os observadores concordam que a vitória em alguns desses estados tradicionalmente conservadores como Virgínia, Colorado, Indiana e Carolina do Norte abriria caminho para as ambições presidenciais de Obama.

O senador por Illinois desfruta de uma cômoda vantagem em todos os estados nos quais o candidato democrata John Kerry ganhou nas eleições presidenciais de 2004.

Os primeiros colégios eleitorais fecharão em algumas partes de Indiana e Kentucky por volta das 21h de Brasília e, durante as seis horas seguintes, nos outros 48 estados do país e no Distrito Federal de Columbia (DC).

No total, 153,1 milhões de pessoas se registraram para votar, 73,5% dos maiores de 18 anos, número mais alto desde que em 1920 foi permitido o voto feminino, segundo um relatório divulgado este fim de semana pela American University.

Antes desta terça, cerca de 30 milhões já haviam votado nos 34 dos 50 estados do país que permitem o voto por antecipado, um número recorde.

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG