Americanos atacam Sadr City, onde combates deixam 14 mortos

Uma salva de foguetes danificou neste sábado um hospital e feriu 28 pessoas no bairro xiita de Sadr City, em Bagdá, onde combates entre milicianos e soldados americanos deixaram 14 mortos.

AFP |

O comando americano declarou ter atacado "elementos criminosos" com poderosos foguetes teleguiados, cada um com uma carga explosiva de mais de 100 kg.

Mais cedo, testemunhas mencionaram um ataque aéreo.

Este bombardeio destruiu na manhã deste sábado várias ambulâncias estacionadas diante do hospital Sadr, provocando um movimento de pânico entre pacientes e funcionários do estabelecimento.

O hospital se encontra numa área de Sadr City relativamente afastada do setor onde as forças americanas travam violentos combates com os milicianos xiitas desde o fim de março.

O comando americano afirmou que o alvo do ataque era "um posto de controle e de comando de elementos criminosos".

Diante da entrada do hospital, uma instalação foi completamente destruída, constatou um jornalista da AFP.

Segundo fontes no local, tratava-se de uma sala de repouso para famílias de vítimas, antes do transporte dos corpos para as cidades santas xiitas, ao sul de Bagdá.

"É um crime do ocupante", denunciou o médico Ali Bistan, um representante do ministério da Saúde que se deslocou a Sadr City para constatar os danos. "Eles querem destruir a infra-estrutura do país. Eles querem impedir os médicos de trabalhar e os medicamentos de chegar", acusou Bistan.

Segundo um guarda do hospital, Alaa Mohammed, 26 anos, aviões de caça americanos foram os responsáveis pelo bombardeio. Visivelmente chocado, ele afirmou que houve cinco deflagrações.

O guarda ainda disse que 14 ambulâncias foram danificadas. Uma fonte médica do hospital declarou que 28 pessoas feridas foram atendidas no local.

"Fiquei com muito medo. Achei que fosse morrer", relatou Zahra, uma jovem enfermeira. "O prédio tremeu, e todo mundo entrou em pânico. As pessoas corriam para todos os lados", comentou.

Além disso, o comando americano anunciou que 14 combatentes xiitas morreram desde sexta-feira em confrontos em Sadr City, feudo do Exército do Mahdi do líder radical xiita Moqtada al-Sadr.

Helicópteros de ataque americanos abriram fogo neste sábado na área dos combates, no sul de Sadr City.

Estes enfrentamentos deixaram mais de 900 mortos em abril, segundo fontes oficiais iraquianas.

O governo iraquiano e o comando americano afirmam querer acabar com as milícias, mas Moqtada al-Sadr denuncia uma estratégia de eliminação de seu movimento, contrário à ocupação americana e que acusa o primeiro-ministro Nuri al-Maliki de colaboração.

jch/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG