(embargada até as 11h de Brasília desta terça-feira). Washington, 14 abr (EFE).- A maioria dos americanos concorda com a adoção de uma nova estratégia para enfrentar o problema de Cuba, revelou hoje uma pesquisa.

Os resultados indicam que sete em cada dez consultados aprovam a suspensão da proibição das viagens de americanos à ilha e o restabelecimento das relações diplomáticas.

Além disso, 59% defendem que "é o momento de ensaiar um novo enfoque em direção a Cuba, porque o país está pronto para a mudança".

A pesquisa, realizada pelo WorldPublicOpinión.org, afirma que 39% dos americanos querem manter a atual política de isolamento devido ao fato de o Partido Comunista se manter no poder.

O WorldPublicOpinion.org é um projeto do Programa de Atitudes Internacionais da Universidade de Maryland que recebe recursos do Fundo dos Irmãos Rockefeller.

Os resultados foram divulgados após o presidente Barack Obama levantar as restrições às viagens de parentes e envios de remessas a Cuba.

Stephen Weber, do WorldPublicOpinion.org, destaca que a pesquisa aponta a convicção, entre os americanos, de que "a política dos EUA em direção a Cuba não deu resultados".

Ele ressaltou que "o povo americano acredita que o contato com os EUA através de relações normais, das viagens e do comércio produzirá mais mudanças em Cuba do que as tentativas de isolamento".

No entanto, os americanos mostram opiniões divididas sobre o fim do embargo imposto em 1962 à ilha.

A pesquisa ressalta que 49% concordam com o fim do bloqueio, enquanto 48% querem mantê-lo.

A consulta foi realizada entre 25 de março e 6 de abril com 765 americanos adultos e tem uma margem de erro de 3,7 pontos percentuais. EFE ojl/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.