Americano que matou família por seguro de vida é executado

Washington, 20 fev (EFE).- Um homem que matou sua esposa e seu filho há quase 18 anos, com a intenção de receber um seguro de vida, foi executado hoje ao receber uma injeção letal no estado da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, informaram fontes judiciais.

EFE |

Luke Williams, de 56 anos, não fez uma declaração final antes de receber as injeções nos dois braços.

Williams foi condenado à morte depois que um júri o declarou culpado de matar, em junho de 1991, sua esposa, Linda Williams, de 39 anos, e seu filho, Shaun, de 12.

A criança, de origem salvadorenha, tinha sido adotada pelo casal poucos meses depois de nascer.

Os corpos carbonizados dos dois foram encontrados no dia seguinte ao assassinato, na caminhonete da família que havia colidido com uma árvore.

Segundo a Justiça americana, a intenção foi simular um acidente, porém a autópsia revelou que a mulher tinha morrido devido a agressões e que Shaun tinha sido estrangulado.

Williams foi detido imediatamente quando começava a se movimentar para receber os seguros de vida, que chegavam a US$ 525 mil.

Essa foi a primeira execução do ano na Carolina do Sul, estado que aplicou a pena de morte em 40 pessoas desde 1976, quando a essa punição foi reimplantada em todo o país. EFE ojl/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG