Americano que ficou preso por 35 anos por crime que não cometeu é libertado

Miami, 17 dez (EFE).- Um homem do estado americano da Flórida foi libertado hoje depois de passar 35 anos na prisão por um crime que não cometeu e conseguiu provar sua inocência por meio de exames de DNA, informou uma organização de advogados dos Estados Unidos.

EFE |

James Bain foi julgado e condenado em 1974 à prisão perpétua pelo sequestro e violação de uma criança de nove anos, apesar de ter alegado que no dia em que o crime foi cometido estava com sua irmã em casa vendo televisão, segundo o Innocence Project, da Flórida.

O juiz James Yancey do condado de Polk, no centro do estado, disse a Bain em uma audiência que era um homem livre e podia ir para casa.

"Não estou incomodado, porque tenho Deus comigo", disse Bain, de 54 anos, ao sair da audiência.

Bain, que tinha 19 anos quando foi preso, foi condenado, principalmente, pelo testemunho do menor, que declarou que o criminoso tinha um bigode e queimaduras em um lado do rosto.

"Ninguém pode substituir os anos que perdeu", se lamentou Seth Miller, um advogado do Innocence Project que ajudou Bain a solicitar os exames de DNA e apresentar os resultados a um juiz. EFE sob/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG