A Coreia do Norte autorizou pela primeira vez, nesta sexta-feira, um cidadão americano condenado no país a oito anos de trabalhos forçados a telefonar para sua casa, informou a agência norte-coreana KCNA." /

A Coreia do Norte autorizou pela primeira vez, nesta sexta-feira, um cidadão americano condenado no país a oito anos de trabalhos forçados a telefonar para sua casa, informou a agência norte-coreana KCNA." /

Americano condenado na Coreia do Norte é autorizado a telefonar para casa

A Coreia do Norte autorizou pela primeira vez, nesta sexta-feira, um cidadão americano condenado no país a oito anos de trabalhos forçados a telefonar para sua casa, informou a agência norte-coreana KCNA.

AFP |

A Coreia do Norte autorizou pela primeira vez, nesta sexta-feira, um cidadão americano condenado no país a oito anos de trabalhos forçados a telefonar para sua casa, informou a agência norte-coreana KCNA.

Aijalon Mahli Gomes, de 30 anos, é um professor de inglês que foi lecionar a língua na Coreia do Sul. Foi condenado, no dia 7 abril, a oito anos de trabalhos forçados e a uma multa equivalente a 700 mil dólares por ter entrado ilegalmente na Coreia do Norte.

"O cidadão americano Aijalon Mahli Gomes pediu para telefonar para a sua família por motivos de saúde e pessoais. O órgão competente da República Democrática da Coreia considerou sua solicitação autorizando-a, nesta sexta-feira", informou a KCNA.

"É um gesto, mas queremos que ele seja libertado por razões humanitárias", comentou em Washington Philip Crowley, o porta-voz da diplomacia americana.

Segundo as autoridades norte-coreanas, o americano "reconheceu todas as acusações" feitas contra ele, no início de abril, durante o processo.

A diplomacia americana reclamou uma medida de anistia assim que sua condenação foi anunciada e tenta conseguir até hoje a sua soltura através da embaixada sueca em Pyongyang, que representa os interesses americanos no país.

De acordo com os norte-coreanos, Aijalon Malhi Gomes atravessou a fronteira norte-coreana da China no dia 25 de janeiro. Ele é o quarto americano a ser preso em menos de um ano na Coreia do Norte por entrada ilegal no país. Os outros três foram expulsos.

Segundo certos analistas, a Coreia do Norte poderia estar utilizando o americano para pressionar os Estados Unidos sobre a questão nuclear duramente imposta por Washington.

bur-cs/cw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG