Americana recebe oferta de US$ 3,8 milhões por sua virgindade

Washington, 2 fev (EFE).- A jovem americana Natalie Dylan, que há seis meses leiloou sua própria virgindade, obteve uma oferta de US$ 3,8 milhões, supostamente procedente de um australiano rico, informou a imprensa local.

EFE |

Inspirada em um caso parecido protagonizado por uma peruana, Dylan, de 22 anos e que mora em San Diego, Califórnia, oferece ao melhor lance sua virgindade por intermédio do bordel Moonlite Bunny Ranch, situado em Nevada.

A emissora de televisão "CNN" informou que, em entrevista recente, a mulher disse que ainda não tem planos de fechar o leilão, que começou com ofertas de US$ 150 a US$ 250 e que, em breve, saltaram, em setembro, para US$ 250 mil.

A oferta mais alta e mais recente, segundo contou Dylan à "CNN", foi feita por um australiano de 39 anos.

O leilão gerou um grande tráfego de mensagens na internet, onde se proliferam os sites com o nome nataliedylan (.net, .com) em gramáticas variadas.

No Nataliedylan.net, alguém se pergunta como a virgindade da moça seria certificada e como o vencedor terá certeza de que, depois que pagar, levará o "produto".

"Há alguma cláusula sobre reembolso?" perguntou o participante.

Na entrevista à "CNN", a jovem expressou desconcerto sobre por que a virgindade despertou tanta atração sexual.

"É provável que alguns homens busquem virgens porque querem exibi-las como troféus ou porque buscam pureza", disse. "Mas, por que pagariam tanto dinheiro pela virgindade? Não entendo".

Existe também a possibilidade de que as ofertas de altas somas de dinheiro tenham pouco a ver com o sexo, a virgindade, ou a atração despertada pela jovem, e sejam mais bem uma expressão de poder, uma demonstração que o ofertante pode pagar o que quiser.

Dylan reconhece que seu leilão equivale à prostituição, mas acrescentou que não viola qualquer lei, já que no estado de Nevada a atividade é legal. EFE jab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG