América Latina reagirá à crise melhor do que no passado, diz FMI

Um relatório divulgado nesta terça-feira pelo Fundo Monetário Internacional afirma que a América Latina deve reagir melhor à atual crise financeira mundial do que em choques passados. A região da América Latina e do Caribe deve lidar com os choques globais atuais melhor do que em crises anteriores, afirma o relatório Regional Economic Outlook para o Hemisfério Ocidental, do FMI.

BBC Brasil |

A previsão do FMI é de que a economia da América Latina vai crescer cerca de 3% em 2009.

Apesar da previsão positiva para a região, o FMI alerta que "ainda há uma quantidade de riscos negativos para a região", sobretudo para países que dependem de preços de commodities, que estão em forte queda.

"Evidentemente, preços mais baratos de alimentos e de combustíveis trariam alívio bem-vindo para alguns países, em particular os países de baixa renda importadores da América Central e do Caribe", diz o relatório.

"Mas para a região como um todo, preços fortes de commodities têm sido um grande fator para expandir as posições fiscal e externa e induzindo o crescimento nos últimos anos."
Recuperação lenta
O FMI prevê a maior redução do crescimento econômico mundial desde as turbulências econômicas que vieram após os ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Segundo o Fundo, a economia mundial vai ficar próxima da estagnação até a metade de 2009. A recuperação será lenta e deve começar apenas após o segundo semestre do ano que vem.

O relatório destaca que nesta crise as empresas brasileiras estão menos expostas a flutuações cambiais do que no passado.

O FMI prevê que a produção brasileira vai crescer 5,2% este ano e 3,5% em 2009.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG