América Latina pede ao Japão que pare com caça científica de baleias

A caça é feita nas águas antárticas, em um santuário estabelecido pela Comissão Baleeira Internacional

AFP |

Os países latino-americanos membros da Comissão Baleeira Internacional pediram nesta segunda-feira ao Japão que pare com a caça científica da espécie nas águas antárticas, em um santuário estabelecido pelo grupo para proteger as baleias.

Os governos de Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, México, Panamá, Peru e Uruguai rejeitaram a caça de cerca de mil baleias, incluindo espécies ameaçadas, no Santuário de Baleias do Oceano Antártico, indicou um comunicado publicado na página oficial do governo argentino.

Tratam-se de países membros da Comissão Baleeira Internacional (CBI), integrantes do chamado "Grupo de Buenos Aires" (GBA), informou.

As nações do GBA reafirmaram seu compromisso com a conservação das baleias, a manutenção da moratória comercial em vigor desde 1986, a promoção do uso não letal do recurso e o respeito à integridade dos santuários baleeiros reconhecidos pela CBI.

Acrescentaram que a continuidade das capturas realizadas ano após ano, apesar das críticas da comunidade internacional, não contribui para manter o ambiente de confiança para "um diálogo construtivo no seio da CBI, único fórum multilateral reconhecido para o manejo e a conservação das baleias".

    Leia tudo sobre: ArgentinaJapãoAmLatecologiabaleiascaça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG