Ambientalistas protestam durante entrega de prêmio a Lula em Paris

Manifestantes da ONG (organização não governamental) ambientalista Greenpeace exibiram cartazes com os dizeres Lula, salve a Amazônia, salve o clima logo após o presidente brasileiro receber um prêmio na sede da Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura), em Paris, na tarde desta terça-feira.

BBC Brasil |

AP
Manifestante pede que Lula preserve a Amazônia

Manifestante pede que Lula salve a Amazônia

Enquanto Lula recebia o Prêmio pela Paz Félix Houphouët-Boigny e cumprimentava as autoridades presentes na cerimônia, dois manifestantes do Greenpeace se instalaram silenciosamente no palco, a poucos metros do presidente, e desenrolaram as faixas.

Logo em seguida, eles foram retirados pelos seguranças da organização. Um dos manifestantes resistiu e se sentou no palco, mas foi depois retirado à força, sem tumulto nem gritos, no entanto. Um outro manifestante conseguiu entregar ao presidente um globo inflável com o desenho dos continentes.

"Alerta válido"

Antes de iniciar seu discurso para agradecer pelo prêmio, Lula disse que queria "pedir desculpas aos jovens que entraram aqui com as faixas" por não ter entendido inicialmente o objetivo da manifestação.

"Muitas vezes, por um problema de língua, não se sabe quem é. E o papel da segurança é não permitir isso, mas o alerta desses jovens é válido para todos nós", afirmou o presidente Lula, sob aplausos da plateia.

"De qualquer forma, o mal entendido permitiu que toda a imprensa fotografasse a manifestação", afirmou Lula. "A preocupação desses jovens é de toda a humanidade. A Amazônia tem de ser preservada", disse o presidente.

Protestos

Na véspera da reunião de cúpula do G8, o grupo de países mais ricos do mundo e a Rússia, que terá também a participação de Brasil, Índia, China, México e Egito como convidados, a ONG Greenpeace quis cobrar dos líderes mundiais ações mais concretas para lutar contra o aquecimento global.

Em Paris, para atrair a atenção do presidente francês, Nicolas Sarkozy, o Greenpeace organizou, nesta terça-feira, um protesto com um "iceberg" inflável de 16 metros de altura no rio Sena, para denunciar os efeitos das mudanças climáticas. No falso iceberg havia faixas dirigidas a Sarkozy e ao G8 com dizeres "o clima procura líder".

AP
Greenpeace faz apelo ao G8 com protesto no rio Sena

Greenpeace faz apelo ao G8 com protesto no rio Sena

"O desmatamento da Amazônia torna o Brasil o quarto maior produtor de gases do efeito estufa. Há um abismo entre o discurso do presidente, sobretudo no exterior, e as ações do governo" para combater o problema, afirma um comunicado do Greenpeace divulgado após o protesto na sede da Unesco.

Relações internacionais

Em seu discurso, após receber o prêmio, Lula também criticou com veemência o golpe em Honduras e abordou outros temas da atualidade internacional.

O presidente brasileiro afirmou que é preciso avançar na criação de um Estado palestino e voltou a defender a necessidade de uma reforma das organizações internacionais para diminuir as "assimetrias" entre os países membros e permitir que economias emergentes possam ter maior representatividade.

Uma nova governança global também foi defendida por Lula e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, em um encontro na manhã desta terça-feira, no Palácido do Eliseu.

Após a cerimônia de entrega do prêmio, Lula embarcou para a Itália para participar da reunião de cúpula do G8, que começa na quarta-feira.

Leia mais sobre Lula

    Leia tudo sobre: greenpeacelulaprotesto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG