Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Amazônia é a região de maior potencial para atenuar as mudanças climáticas

A colocação em prática de mecanismos financeiros para evitar o desmatamento mobilizaria a cada ano bilhões de euros no mercado de carbono, impulsionando a conservação das grandes florestas como a Amazônica, segundo um estudo publicado nesta segunda-feira pela Royal Society.

AFP |

Uma redução de 10% do desmatamento no mundo geraria entre 1,5 e 9,1 bilhões de euros anuais no mercado de carbono, segundo os autores do estudo, baseado em múltiplas hipóteses dos preços de carbono (entre 5 e 30 euros a tonelada de CO2) e do ritmo de desaparecimento das florestas.

O relatório "A mudança climática e o futuro do Amazonas" foi publicado em uma edição especial de uma revista da britânica Royal Society.

Globalmente, a Amazônia representa a região de maior potencial para contribuir e atenuar a mudança climática através da redução das emissões de dióxido de carbono.

Entre 1990 e 2005, 26% do desmatamento mundial, equivalente a 3,7 milhões de hectares, foram registrados no conjunto de países do Amazonas (Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname, Venezuela).

Devido à forte densidade de carbono nessas florestas, esta cifra corresponde a cerca de 46% das emissões globais de CO2 resultantes do desaparecimento das florestas, segundo o estudo.

A idéia de fixar um preco para cada árvore correspondente ao carbono que armazena durante toda sua vida e evitar assim o corte das florestas está ganhando adeptos nas conferências internacionais sobre o clima.

O conceito é que cada tonelada preservada seja compensada com créditos que possam ser vendidos no mercado global de carbono.

Os grandes países que abrigam vastas extensões de florestas como o Brasil e a Indonésia apóiam a criação desse tipo de mecanismo batizado de "Redução de emissões procedentes do desmatamento ou degradação".

Trata-se, além disso, de uma das opções estudadas pelos Estados signatários do Acordo de Princípio da ONU sobre Mudanças Climáticas (CNUCC), que trabalham atualmente num texto que substituirá o Protocolo de Kyoto.

O desmatamento no mundo é responsável por 20% das emissões de CO2, superando o conjunto das indústrias de transporte. Sua redução permitirá diminuir as emissões de gases de efeito estufa, consideradas responsáveis pela mudança climática.

ea/ref/cn/fp

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG