Bogotá, 31 dez (EFE).- O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, aplaudiu as declarações da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, que disse que desconfia de uma troca efetiva de rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) por reféns, e acredita a situação está mais próxima de um resgate militar.

"O Exército está rodeando os acampamentos, com isso aumentam as possibilidades de resgate. A proposta das Farc para troca é uma fantasia", afirmou Ingrid, que esteve sequestrada pela guerrilha, em entrevista à rádio "Caracol".

"Digam à doutora Ingrid que a felicito por essa declaração tão valente", indicou o presidente colombiano a jornalistas, lembrando que seu Governo deu todas as garantias às Farc para que façam a anunciada libertação dos reféns.

"Os terroristas das Farc nos roubam, pois o Governo e os colombianos deram todas as garantias para que libertem os sequestrados, e eles negam as mínimas garantias ao povo colombiano", disse Uribe.

Ingrid disse, em sua entrevista, que, como ex-sequestrada, no momento de seu cativeiro aceitaria o resgate militar ou qualquer mecanismo que o Governo nacional pudesse adotar para conseguir sua liberdade.

Uribe, por sua vez, lembrou que, quando era esperado que as Farc libertassem os sequestrados, os guerrilheiros "roubaram ao país" com suas agressões terroristas e assassinaram o governador do departamento (estado) de Caquetá, Luis Francisco Cuéllar, no último dia 22 de dezembro.

As Farc anunciaram em abril a libertação dos militares Pablo Emilio Moncayo, seu refém mais antigo (em poder desde dezembro de 1997), e Josué Daniel Calvo, exigindo garantias de segurança e a presença de representantes da Igreja Católica e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), assim como da senadora Piedad Córdoba. EFE rrm/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.