Alunos e pais protestam contra fechamento de escola iraquiana em Rabat

Rabat, 23 mar (EFE).- Cerca de 500 pessoas, entre elas alunos e pais, concentraram-se hoje para protestar contra o fechamento da escola iraquiana de Rabat, acusada pelas autoridades marroquinas de propagar o xiismo, segundo a Agência Efe pôde constatar.

EFE |

Os alunos, vários deles acompanhados pelos pais, gritaram frases de protestos e levantaram retratos do rei Muhammad VI, que é a forma de expressar no Marrocos que a manifestação não tem caráter político.

O fechamento da escola, no sábado passado, ocorreu após uma denúncia contra a diretora apresentada por um cidadão iraquiano, que disse que os três filhos foram expulsos do centro por motivos confessionais.

Em comunicado oficial, o Ministério da Educação marroquino ressaltou que a escola iraquiana de Rabat foi fechada pelas autoridades marroquinas por "descumprimento" das disposições legais do ensino privado no Marrocos e por propagar um rito religioso, em alusão ao xiismo.

Uma comissão desse ministério abriu uma investigação e concluiu que o programa de ensino não respeita a "unidade espiritual do Marrocos", segundo o comunicado.

O ministério anunciou que os alunos serão integrados em três escolas públicas marroquinas.

A escola iraquiana, aberta graças a um acordo entre as autoridades marroquinas e iraquianas, está atualmente fechada e cercada por um cordão de agentes de segurança.

O fechamento do centro de ensino ocorre dentro de uma campanha marroquina contra a expansão do xiismo neste país, que começou com a proibição da venda de livros com temática xiita, após a ruptura das relações com o Irã, em 6 de março. EFE hm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG