Aluna de Yale morreu estrangulada; crime segue sem suspeito

Washington, 16 set (EFE).- A estudante Annie Le, encontrada morta nas instalações da Universidade de Yale, foi vítima de estrangulamento, informaram hoje os legistas responsáveis pelo caso, que por enquanto ainda não tem suspeito.

EFE |

A Polícia do estado de Connecticut, onde se encontra a universidade, após testes de DNA decidiu soltar hoje em o técnico de laboratório que deteve na terça-feira como principal suspeito do assassinato da estudante.

O porta-voz da Polícia Joe Avery disse hoje que as análises de DNA feitas com o técnico, que tinha arranhões no peito, e a vítima, demonstraram que Raymond Clark, em princípio, não teve nada a ver com o crime.

No entanto, a Polícia o considera como uma "pessoa de interesse" no caso.

Annie Marie Le, de 24 anos, uma jovem de origem asiática, desapareceu na terça-feira da semana passada e seu corpo foi achado no domingo, dia em que tinha previsto se casar com Jonathan Widawsky, um estudante da Universidade de Colúmbia.

Até agora a Polícia entrevistou mais de 100 pessoas que tiveram acesso ao edifício no domingo passado, mas nenhuma foi acusada. EFE mla/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG