Altos funcionários sérvios recebem ameaças de morte por detenção de Karadzic

Belgrado, 25 jul (EFE).- O presidente sérvio, Boris Tadic, e outros vários altas autoridades do país receberam ameaças de morte depois da detenção, na segunda-feira passada, do ex-líder servo-bósnio e acusado de crimes de guerra Radovan Karadzic.

EFE |

Segundo informações de hoje do jornal "Blic", além de Tadic, foram também alvo de ameaças o ministro do Interior sérvio, Ivica Dacic, o procurador de crimes de guerra, Vladimir Vukcevic, e o presidente do conselho governamental de cooperação com o Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), Rasim Ljajic.

Os dois últimos são também os coordenadores de um plano de ação para a busca e captura dos foragidos acusados de crimes de guerra.

Os quatro receberam, entre outras ameaças, cartas em forma de bilhetes mortuários e advertências por telefone, como "uma bomba está debaixo de seu carro" ou "terminará como Zoran Djindjic (ex-primeiro-ministro assassinado em 2003)".

Segundo o "Blic", os serviços secretos e a Polícia aumentaram o grau de proteção dessas autoridades, mas, do Gabinete de Tadic, não foi confirmada nem desmentida a existência destas ameaças.

Karadzic foi detido na segunda-feira passada nos arredores de Belgrado, onde vivia e trabalhava com identidade falsa.

O ex-político dos sérvios da Bósnia é acusado pelo TPII pelo genocídio em Srebrenica, pelo cerco a Sarajevo, e por outros crimes de guerra e contra a humanidade cometidos durante a Guerra da Bósnia (1992-1995). EFE Sn/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG