Guillermo Fariñas o fim da greve de fome e sede que ele realiza há quase um mês, durante uma visita ao hospital de Santa Clara, onde o opositor está internado há dez dias." / Guillermo Fariñas o fim da greve de fome e sede que ele realiza há quase um mês, durante uma visita ao hospital de Santa Clara, onde o opositor está internado há dez dias." /

Alto funcionário do governo de Cuba pede fim da greve de fome de Fariñas

Um alto funcionário dos serviços de segurança de Cuba pediu ao dissidente http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2010/03/13/em+greve+de+fome+dissidente+cubano+segue+em+estado+grave+9426985.htmlGuillermo Fariñas o fim da greve de fome e sede que ele realiza há quase um mês, durante uma visita ao hospital de Santa Clara, onde o opositor está internado há dez dias.

AFP |

"O diretor do Departamento de Atividades Contrarrevolucionárias para esta região, Héctor de la Fé Freyre, pediu a Fariñas que renuncie à greve, advertindo que sua saúde está gravemente deteriorada e ele pode morreir", declarou a porta-voz do dissidente, Licet Zamora.


Guillermo Fariñas em foto tirada durante a greve de fome / EFE

Ela disse que essa foi a primeira visita a Fariñas de um alto funcionário dos serviços de segurança de Estado.

"Guillermo respondeu que deseja a libertação de 26 presos políticos doentes. O diretor não fez nenhum comentário a respeito, tampouco proposta alguma", disse Zamora.

Fariñas, um psicólogo, jornalista independente e ex-militar de 48 anos, inspirou-se na morte do preso político Orlando Zapata , um pedreiro de 42 anos que faleceu após dois meses e meio de greve de fome para pedir melhores condições carcerárias.

Fariñas foi hospitalizado em 11 de março após um choque hipoglicêmico. Ele recebe hidratação e alimentação por via intravenosa, já que se recusa a ingerir comida e líquidos.

Leia mais sobre Cuba

    Leia tudo sobre: cuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG