Alto funcionário americano da ONU é seqüestrado no Paquistão

Homens armados seqüestraram um importante funcionário americano das Nações Unidas e mataram seu motorista, nesta segunda-feira, em uma ousada operação no Paquistão.

AFP |

John Solecki, chefe da divisão regional do Alto Comissarido das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) em Quetta, sudoeste do Paquistão, foi levado por indivíduos armados quando ia para o trabalho, na capital da província do Baluchistão, na fronteira com Irã e Afeganistão.

Quetta, de quase um milhão de habitantes, é considerada um provável refúgio de líderes talibãs, que escaparam do Afeganistão depois da invasão coordenada pelos Estados Unidos, em 2001.

Homens desconhecidos esboscaram o veículo de Solecki, que tinha pintado na lataria o símbolo azul da ONU, e abriram fogo, matando o motorista, segundo fontes das Nações Unidas e da polícia.

"É um cidadão americano, e seu nome é John Solecki. Ele é diretor da subdivisão da Acnur-Quetta", declarou à AFP um oficial da polícia local, Khalid Masud.

"Abriram fogo. Seu motorista foi ferido e morreu a caminho do hospital. Os homens armados o levaram (Solecki) para um local desconhecido", acrescentou.

Vários diplomatas de Islamabad e o funcionário de uma organização humanitária, que pediram o anonimato, confirmaram à AFP que Solecki é americano.

A província do Baluchistão possui grandes reservas de recursos energéticos, mas sofre com a violência da guerrilha, do sectarismo e dos ataques organizados por extremistas islâmicos, o que dificulta o trabalho da polícia em identificar os autores do seqüestro.

A ONU condenou o seqüestro de Solecki e o assassinato de seu motorista, Syed Hashim, manifestando "grande indignação e consternação". Segundo a organização, "todas as medidas possíveis para obter" a libertação do americano estão sendo tomadas.

"Condenamos energicamente este ataque contra funcionários humanitários no Paquistão, que fizeram todo o possível para cumprir sua missão humanitária", indicou a ONU.

O ministro das Relações Exteriores paquistanês, Shah Mehmud Qureshi, denunciou o o ataque, classificando-o como um "ato terrorista lamentável e covarde".

"O governo do Paquistão está tomando todas as medidas necessárias para resgatar Solecki de forma rápida e segura", afirmou.

bur-jm/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG