Moscou, 22 ago (EFE).- O alto comissário da ONU para os Refugiados, António Guterres, disse hoje sentir-se profundamente comovido com o que viu em sua viagem à região separatista georgiana da Ossétia do Sul, e avaliou os esforços de reconstrução já iniciados no local.

"Tenho que dizer que me encontro profundamente comovido com a dimensão do problema humanitário, e por tudo o que terá que ser reconstruído na Ossétia do Sul", declarou Guterres no aeroporto de Vladikavkaz, capital da vizinha república russa da Ossétia do Norte.

O alto comissário disse sentir-se impressionado com os enormes esforços de reconstrução realizados na região pelo Ministério de Situações de Emergência russo.

"Durante minha visita, tive a oportunidade de falar com a população local e tive idéia do que tiveram que viver", assinalou.

Guterres indicou ainda ter se reunido com o líder separatista da região da Ossétia do Sul, Eduard Kokoiti, com quem analisou assuntos que vão além de seu mandato como alto comissário para os Refugiados.

"Discutimos todo um conjunto de questões humanitárias. Estas questões vão além do meu mandato, e por isso, em primeiro lugar, informarei sobre elas ao secretário-geral da ONU", ressaltou.

Segundo o alto comissário, Kokoiti afirmou que não permitirá que se repita na Ossétia do Sul uma situação igual à desencadeada pelos combates iniciados no último dia 8, entre forças georgianas, russas e da região separatista, que deixaram praticamente destruída a capital Tskhinvali.

Na Ossétia do Norte, aonde chegou na véspera, o alto comissário visitou os centros de abrigo provisórios para os deslocados que abandonaram a vizinha Ossétia do Sul em conseqüência do conflito, e se reuniu com o ministro de Situação de Emergência russo, Serguei Shoigu. EFE egw/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.