Alto cargo da polícia turca é obrigado a renunciar por ser homossexual

Ancara, 23 set (EFE).- Um alto cargo da polícia turca foi obrigado a renunciar de seu posto depois que seus superiores descobrissem que tinha tido uma relação amorosa com outro homem, informou hoje o jornal Milliyet.

EFE |

Segundo o jornal, o código disciplinar da Direção turca de Segurança, onde trabalhava o policial, não menciona explicitamente estas relações, mas este castigo já foi imposto neste contexto aos que são considerados "culpados" desses atos.

A Direção de Segurança iniciou a investigação disciplinar contra o chefe de polícia M.A., após haver sido enviado um CD ao departamento de pessoal no qual se podia ver ao agente com outro homem em uma situação comprometedora.

Uma vez iniciada a investigação, a Direção de Segurança aceitou a demissão do policial, que teve que renunciar, além disso, a seus direitos de aposentadoria.

M.A. é o segundo policial que teve que abandonar o cargo por ter uma relação homossexual, depois que o subdiretor de uma escola de policial foi substituído de seu posto e enviado à aposentadoria em um caso similar.

Analistas jurídicos e sociólogos turcos criticaram esta atuação da Polícia, alegando que seus membros não podem ser investigados apenas pelo fato de serem homossexuais. EFE tec/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG